Viagens na Minha Terra: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Almeida Garret

Capítulo 31

Caminhando por Santarém o autor conclui que a cidade é apenas uma lembrança do passado, que nela não há presente. Volta a fazer a comparação da cidade, e também de Portugal, com uma obra literária: antigamente vivia num milagre, em poesia, e agora vive em prosa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Destaca a arquitetura moçárabe que encontra pelo caminho – moçárabes eram cristãos que viviam na península ibérica sob o governo muçulmano, adotando a língua e costumes dos árabes.

Chega à porta do Sol, um triste mirante onde antigamente aconteciam execuções. Pôs-se a imaginar se Frei Dinis teria ali chorado a derrota dos absolutistas. No mesmo momento o guia da viagem se prepara para continuar a contar o romance de Carlos e Joaninha, até o final.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Teria o romance um final bom ou ruim? O autor lembra que em tempos antigos era apreciado um final trágico e que no tempo dele os leitores preferiam finais felizes. Promete, no entanto, que será fiel aos fatos, sejam eles quais forem, sem seguir a moda da época.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Anterior Índice Próximo

O que achou do resumo?
Ficou com alguma dúvida?
Qual a sua interpretação do texto?
Deixe seu comentário no final desta página ;)

Adquira os eBooks para
ter acesso total ao conteúdo
e contribua com nosso trabalho ;)

Clique aqui para
visitar nossa Livraria Virtual