Viagens na Minha Terra: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Almeida Garret

Capítulo 10

O vale de Santarém é elogiado pela sua beleza, harmonia e serenidade, sendo comparado ao próprio Éden.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao avistar uma janela em meio às árvores o autor surpreende-se por sua aparência ornada e antiga. Imagina quem poderia viver ali, qual vista do pôr-do-sol se tem da janela, e de quem seria um vulto por detrás da cortina branca. Vulto? Crê que esteja vendo coisas… Mas considera que a aparição de uma mulher na janela, junto aos rouxinóis que iniciam um canto, dá um belo quadro romântico.

Faz considerações sobre a semelhança entre a mulher apaixonada e o homem poeta, ambos com uma visão diferente do mundo, capazes de extrair o que há de melhor numa paixão, diferentemente dos demais mortais.

Baixar eBooks

Retorna à imaginação do vulto feminino sentando-se no beiral da janela e imagina a cor de seus olhos – pretos ou verdes? Decide-se, afinal, pelos verdes. E informa que esta menina será personagem da história que se iniciará.

Relata um receio em contar sua história em português já que “as damas e os elegantes” dizem que em francês “há outro não sei quê”. Mas ainda assim o fará, por considerar esta teoria tolice. Afirma seu parâmetro para avaliar uma obra de arte, que é: “poesia ou romance, música ou drama de que as mulheres não gostem, é porque não presta”.

Baixar eBooks

Ressalta que sua história não será uma romance, com aventuras, incidentes e situações raras, mas apenas uma singela história.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Anterior Índice Próximo

Baixar eBook (R$9,90)

O que achou do resumo?
Ficou com alguma dúvida?
Qual a sua interpretação do texto?
Deixe seu comentário no final desta página ;)

Adquira os eBooks para
ter acesso total ao conteúdo
e contribua com nosso trabalho ;)

Clique aqui para
visitar nossa Livraria Virtual