Til: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de José de Alencar, por Bruno Alves

ATENÇÃO: A experiência artística da leitura literária é única e pessoal: sempre que puder, entre em contato com os textos originais para compreender os livros em sua essência.

Parte 3 – Capítulo 2 – O casamento

Jão também era apaixonado por Besita e fazia tudo o que ela pedisse. Quando soube do cortejo de Luís à mesma garota, ficou furioso, arranjou brigas, embriagou-se pela primeira vez, dormiu no meio de uma estrada (onde quase foi atingido por um carro-de-bois). Após a crise, decidiu que deixaria que seu amigo-irmão ficasse com Besita, se ela assim decidisse. Mas qualquer outro que ela acabasse desejando, ele mataria.

A moça aproveitou-se da situação, recebendo os cortejos de um submisso, João, e de um abusado, Luís.

Na mesma época surgiu Ribeiro, um jovem moço que estava arrecadando alguns bens de herança deixados pelo seu tio na região. Também apaixonado pela garota, a pediu em casamento. Guedes, pai de Besita, aconselhou a filha a ficar com Luís Galvão, que era mais conhecido, porém a menina imaginava que ele não queria um relacionamento sério com ela. O pai chamou Luís, para contar-lhe da proposta de Ribeiro. Como se passaram 15 dias sem que Luís também fizesse sua proposta, Guedes concedeu a mão de Besita a Ribeiro.

Sabendo do acerto, Jão foi tirar satisfação com Luís Galvão, que explicou que seu pai não era a favor do casamento com a moça. Bugre irritou-se e deixou a casa da família Galvão neste mesmo dia.

Após o casamento, Ribeiro recebeu uma comunicação de que precisava ir à Itu salvar a maior parte da herança. Enquanto isso, ficaram Besita e seu pai morando numa pequena fazenda que o noivo herdara.

Anterior Índice Próximo
error: Compre nossos ebook, a partir de R$ 5,90, para ter acesso aos textos com a opção copiar/colar habilitada ;)