Til: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de José de Alencar, por Bruno Alves

ATENÇÃO: A experiência artística da leitura literária é única e pessoal: sempre que puder, entre em contato com os textos originais para compreender os livros em sua essência.

Parte 2 – Capítulo 14 – Desencargo

Vendo o mascate com os montes de notas e moedas, Jão Fera nem pensou em atacá-lo, mas apenas em pedir emprestada parte do dinheiro. No entanto, imaginou que o mercador o veria como um assaltante, o que o fez desanimar e sair logo do lugar.

Nos três dias seguintes, Jão havia procurado formas de conseguir a quantia para saldar sua dívida com Barroso, mas nenhuma deu certo. Apostou os poucos cobres que tinha, e perdeu. Alguns trabalhos que poderia fazer como capanga estavam suspensos, aguardando por uma mudança política da região. Até uma onça foi caçar, mas quando chegou ao sítio onde ela estaria, já tinha sido acossada por outros homens.

Voltando da desastrosa caçada, Jão Fera cruzou com um casal de velhinhos que conversavam sobre uma roça que fariam, para isso empenhariam um bom dinheiro. Fera ofereceu-se para tal, pois lidava bem com foice e machado, mas ao ver que também teria de usar uma enxada, desistiu da tarefa: esse tipo de trabalho o igualaria a escravos, e isso ele não aceitava!

Jão decidiu apelar para sua última alternativa. Marcou um encontro com Chico Tinguá, que veio ao seu encontro ansioso para contar-lhe a emboscada que se armava contra ele, pelo Pinta e pelos demais caçadores. Mas o capanga não se intimidou. Pediu que Chico fosse até a fazenda de Aguiar, o homem que oferece recompensa a quem pegá-lo, e informasse que se ele lhe desse 50 mil réis, o próprio Fera iria até a fazenda, após o São João.

Após o acerto, Jão foi em direção à casa de nhá Tudinha, rondar em busca de Berta. Com a presença de Miguel, o capanga desistiu do intento. Berta viu um vulto na mata e, imaginando que era Jão a procurá-la, foi ao seu encontro. Lá ele prometeu que não se meteria mais com Luís Galvão, o que deixou a moça contente. Fera pediu que pudesse beijar o bentinho da menina, como recompensa. Berta tirou o relicário do peito e esticou-o ao homem, que após isso saiu cambaleando.

No mesmo instante surge da mata Brás, todo sujo de terra, arranhado, com uma cutia em mãos, pretendendo repor a que ele espantou dias antes.

Anterior Índice Próximo
error: Compre nossos ebook, a partir de R$ 5,90, para ter acesso aos textos com a opção copiar/colar habilitada ;)