Terra Sonâmbula: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Mia Couto

Oitavo capítulo – O SUSPIRO DOS COMBOIOS

Promoção 50%

Tuahir sugere que a estrada estava a andar, lhes proporcionando os encontros com Siqueleto, Nhamataca e as velhas, assim como as mudanças da paisagem: o ônibus ficava imóvel.

Muidinga também percebia esse movimento e Tuahir lembrou-se de seu trabalho na estação de trem, ambiente de tantas viagens que ele cuidava com gosto, porém não mais existia após a guerra. Ele revelou que tinha vontade de cuidar do ônibus como se fosse sua estação, mas acreditava que não valia a pena. O velho retirou do bolso um apito que guardava como amuleto e entregou-o ao garoto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Muidinga não admite a postura derrotista de Tuahir e afirma que se ele lhe deu o apito, é porque sabia que havia esperança. O velho pede que o menino volte a ler os cadernos, que era uma forma de se entreterem, e improvisa uma vassoura com um ramo de palmeira para limpar o ônibus.

Tuahir junta algumas cinzas numa velha tampa e as joga ao redor do ônibus. Diz a Muidinga que estava adubando a terra para as próximas chuvas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Anterior Índice Próximo

Baixar eBook (R$9,90)

O que achou do resumo?
Ficou com alguma dúvida?
Qual a sua interpretação do texto?
Deixe seu comentário no final desta página 😉

Adquira os eBooks para
ter acesso total ao conteúdo
e contribua com nosso trabalho ;)

Clique aqui para
visitar nossa Livraria Virtual