O Cortiço: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Aluísio Azevedo

Capítulo 16

Piedade passara a noite em claro, entre pensamentos trágicos e alucinações em relação ao seu marido. Ela amaldiçoava o dia em que decidiu vir ao Brasil e deixar sua terra, onde com certeza Jerônimo ainda seria o mesmo, sem ser atraído pela luxúria da América.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando amanheceu foi à rua procurar notícias. Não demorou muito para que o sumiço de Jerônimo se tornasse a notícia do dia na estalagem. Rita também saíra, pois preocupava-se com a repercussão que a morte de Firmo causaria, o que era justificado pois o povo do Cabeça-de-Gato já jurava vingança contra os carapicus pelo assassinato de seu líder.

Quando voltou ao cortiço, Piedade já sabia que seu marido estava bem, mas havia fugido de casa. Ao descobrir que Firmo havia sido morto ela ainda tentou duvidar que tudo aconteceu por causa da baiana, mas não havia outra conclusão possível.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em seguida chegou a Rita, feliz, após um encontro com Jerônimo. Piedade não aguentou ver tal cena e partiu para cima da rival, primeiro com ofensas, depois fisicamente. Como sempre, o cortiço todo parou para ver a briga: os portugueses apoiavam Piedade e os brasileiros a Rita. O calor da briga não demorou para se espalhar entre todos que logo começaram também a se enfrentar.

João Romão, vendo que não controlaria a bagunça, tratou de proteger sua venda. Miranda iniciou a apitar, chamando a polícia, que pouco depois chegou e pediu reforços, tamanha era a confusão. Ao mesmo tempo era possível ouvir o grito de guerra dos cabeças-de-gato que vinham em bando, prontos para vingar Firmo.

Anterior Índice Próximo

Baixar eBook (R$9,90)

Baixar eBooks

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que achou do resumo?
Ficou com alguma dúvida?
Qual a sua interpretação do texto?
Deixe seu comentário no final desta página ;)

Adquira os eBooks para
ter acesso total ao conteúdo
e contribua com nosso trabalho ;)

Clique aqui para
visitar nossa Livraria Virtual