Macunaíma: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Mário de Andrade

17 – Ursa Maior

Sozinho, Macunaíma armou uma rede no alto de uma pedra e passou seus últimos dias na companhia de um papagaio para quem ele contava suas histórias e lendas. Também infectado pela malária, o herói passava a maior parte do tempo dormindo, cheio de preguiça.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Certa tarde, com o corpo tocado pela Vei, a Sol, Macunaíma sentiu vontade de brincar e resolveu se aliviar com um banho na lagoa. De dentro das águas Uiara convidava o herói para brincar, mas ele tinha receio do frio. Vei, a Sol, ainda irritada com a recusa de Macunaíma em casar-se com sua filha, aqueceu suas costas para ele ter vontade de mergulhar. Entrando na lagoa o herói perdeu uma perna, suas orelhas, seu nariz, seus dedões e até mesmo o muiraquitã.

Revoltado, Macunaíma envenena a lagoa e recupera alguns de seus pedaços, exceto a perna. Cansado de viver, ele decide ir ao céu: planta um cipó que sobe até a lua Capei. Pauí-Pódole, feliz por sua defesa na festa do Cruzeiro, arranja para o herói uma constelação: ele se transforma na Ursa Maior (que só possui uma perna).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Baixar eBooks

Anterior Índice Próximo

Baixar eBook (R$9,90)

O que achou do resumo?
Ficou com alguma dúvida?
Qual a sua interpretação do texto?
Deixe seu comentário no final desta página ;)

Adquira os eBooks para
ter acesso total ao conteúdo
e contribua com nosso trabalho ;)

Clique aqui para
visitar nossa Livraria Virtual