Macunaíma: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Mário de Andrade

10 – Pauí-Pódole

A sova da macumba deixou Venceslau Pietro Pietra de resguardo, por meses deitado numa rede com o muiraquitã guardado debaixo de seu corpo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sem poder recuperar seu talismã, Macunaíma se empenha em aprender as línguas locais: “brasileiro falado” e o “português escrito”. Certo dia, por não saber o nome da botoeira de sua camisa, chamou-a de “puíto” e lançou moda: em alguns dias todos os brasileiros adotaram a mesma forma de chamar aquela parte da roupa.

No dia do Cruzeiro, quando não havia lua e era possível observar atentamente às estrelas, Macunaíma presenciou um discurso de um mulato que explicava o significado da constelação do Cruzeiro do Sul. O herói protestou e defendeu a tradição que trazia de suas raízes: aquelas estrelas eram Pauí-Pódole, o Pai do Mutum, um pássaro que foi morar no céu fugindo das formigas da terra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Baixar eBook

Anterior Índice Próximo

Baixar eBook (R$9,90)

O que achou do resumo?
Ficou com alguma dúvida?
Qual a sua interpretação do texto?
Deixe seu comentário no final desta página ;)

Adquira os eBooks para
ter acesso total ao conteúdo
e contribua com nosso trabalho ;)

Clique aqui para
visitar nossa Livraria Virtual