Inocência: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Visconde de Taunay

6 – Inocência

Enquanto encaminhava o doutor para o quarto de sua filha, Pereira relatava alguns hábitos singulares da menina: conversava com os animais, queria aprender a ler e sonhava em ser princesa, para ter diversos homens a servi-la.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já estava escuro quando entraram nos aposentos de Inocência, iluminado somente por velas. Cirino tomou o pulso da doente e, discretamente, não pode deixar de se encantar pela meiguice da moça.

A febre já havia baixado e o doutor receitou um suador de folhas de laranjeira, limão para atender à sua sede, além de um medicamento que administraria a ela por volta de meia-noite. Também pediu para que ela soltasse seus cabelos e que a sua cama fosse alinhada no sentido do nascente ao poente. Mas não havia nada de grave.

Baixar eBooks

Para colher as folhas de laranjeira e os limões, Martinho pediu ajuda a Tico, um anão mudo que servia “como um cachorro” a Inocência.

Baixar eBooks

Anterior Índice Próximo

Baixar eBook (R$9,90)

O que achou do resumo?
Ficou com alguma dúvida?
Qual a sua interpretação do texto?
Deixe seu comentário no final desta página ;)

Adquira os eBooks para
ter acesso total ao conteúdo
e contribua com nosso trabalho ;)

Clique aqui para
visitar nossa Livraria Virtual