Esaú e Jacó: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Machado de Assis, por Bruno Alves

Penúltima obra de Machado de Assis, Esaú e Jacó foi publicado em 1904, época de transição política para o país, que se tornava uma república. O romance reflete o contexto histórico na pele de seus protagonistas: gêmeos que divergem entre si desde o ventre de sua mãe e somente no amor entram em um “acordo”. Leia a análise detalhada do livro, capítulo por capítulo, clicando nos links abaixo ou baixando o eBook em PDF.

Baixar eBook

Advertência
Capítulo 1 – Coisas futuras
Capítulo 2 – Melhor de descer que de subir
Capítulo 3 – A esmola da felicidade
Capítulo 4 – A missa do coupé
Capítulo 5 – Há contradições explicáveis
Capítulo 6 – Maternidade
Capítulo 7 – Gestação
Capítulo 8 – Nem casal, nem general
Capítulo 9 – Vista de palácio
Capítulo 10 – O juramento
Capítulo 11 – Um caso único
Capítulo 12 – Esse Aires
Capítulo 13 – A epígrafe
Capítulo 14 – A lição do discípulo
Capítulo 15 – Teste David cum Sibylla
Capítulo 16 – Paternalismo
Capítulo 17 – Tudo o que restrinjo
Capítulo 18 – De como vieram crescendo
Capítulo 19 – Apenas duas – Quarenta anos. Terceira causa.
Capítulo 20 – A joia
Capítulo 21 – Um ponto escuro
Capítulo 22 – Agora um salto
Capítulo 23 – Quando tiverem barbas
Capítulo 24 – Robespierre e Luis XVI
Capítulo 25 – D. Miguel
Capítulo 26 – A luta dos retratos
Capítulo 27 – De uma reflexão intempestiva
Capítulo 28 – O resto é certo
Capítulo 29 – A pessoa mais moça
Capítulo 30 – A gente Batista
Capítulo 31 – Flora
Capítulo 32 – O aposentado
Capítulo 33 – A solidão também cansa
Capítulo 34 – Inexplicável
Capítulo 35 – Em volta da moça
Capítulo 36 – A discórdia não é tão feia como se pinta
Capítulo 37 – Desacordo no acordo
Capítulo 38 – Chegada a propósito
Capítulo 39 – Um gatuno
Capítulo 40 – “Recuerdos”
Capítulo 41 – Caso do burro
Capítulo 42 – Uma hipótese
Capítulo 43 – O discurso
Capítulo 44 – O salmão
Capítulo 45 – Musa, canta
Capítulo 46 – Entre um ato e outro
Capítulo 47 – S. Mateus, IV, 1-10
Capítulo 48 – Terpsícore
Capítulo 49 – Tabuleta velha
Capítulo 50 – O tinteiro de Evaristo
Capítulo 51 – Aqui presente
Capítulo 52 – Um segredo
Capítulo 53 – De confidências
Capítulo 54 – Enfim, só!
Capítulo 55 – “A mulher é a desolação do homem”
Capítulo 56 – O golpe
Capítulo 57 – Das encomendas
Capítulo 58 – Matar saudades
Capítulo 59 – Noite de 14
Capítulo 60 – Manhã de 15
Capítulo 61 – Lendo Xenofonte
Capítulo 62 – “Pare no D.”
Capítulo 63 – Tabuleta nova
Capítulo 64 – Paz!
Capítulo 65 – Entre os filhos
Capítulo 66 – O basto e a espadilha
Capítulo 67 – A noite inteira
Capítulo 68 – De manhã!
Capítulo 69 – Ao piano
Capítulo 70 – De uma conclusão errada
Capítulo 71 – A comissão
Capítulo 72 – O regresso
Capítulo 73 – Um Eldorado
Capítulo 74 – A alusão do texto
Capítulo 75 – Provérbio errado
Capítulo 76 – Talvez fosse a mesma!
Capítulo 77 – Hospedagem
Capítulo 78 – Visita ao marechal
Capítulo 79 – Fusão, difusão, confusão…
Capítulo 80 – Transfusão, enfim
Capítulo 81 – Ai, duas almas…
Capítulo 82 – Em São Clemente
Capítulo 83 – A grande noite
Capítulo 84 – O velho segredo
Capítulo 85 – Três constituições
Capítulo 86 – Antes que me esqueça
Capítulo 87 – Entre Aires e Flora
Capítulo 88 – Não, não, não
Capítulo 89 – O dragão
Capítulo 90 – O ajuste
Capítulo 91 – Nem só a verdade se deve às mães
Capítulo 92 – Segredo acordado
Capítulo 93 – Não ata nem desata
Capítulo 94 – Gestos opostos
Capítulo 95 – O terceiro
Capítulo 96 – Retraimento
Capítulo 97 – Um Cristo particular
Capítulo 98 – O médico Aires
Capítulo 99 – A título de ares novos
Capítulo 100 – Duas cabeças
Capítulo 101 – O caso embrulhado
Capítulo 102 – Visão pede meia sombra
Capítulo 103 – O quarto
Capítulo 104 – A resposta
Capítulo 105 – A realidade
Capítulo 106 – Ambos quais?
Capítulo 107 – Estado de sítio
Capítulo 108 – Velhas cerimônias
Capítulo 109 – Ao pé da cova
Capítulo 110 – Que voa
Capítulo 111 – Um resumo de esperanças
Capítulo 112 – O primeiro mês
Capítulo 113 – Uma Beatriz para dous
Capítulo 114 – Consultório e banca
Capítulo 115 – Troca de opiniões
Capítulo 116 – De regresso
Capítulo 117 – Posse das cadeiras
Capítulo 118 – Cousas passadas, cousas futuras
Capítulo 119 – Que anuncia os seguintes
Capítulo 120 – Penúltimo
Capítulo 121 – Último

error: Compre nossos ebook, a partir de R$ 5,90, para ter acesso aos textos com a opção copiar/colar habilitada ;)