Capitães da Areia: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Jorge Amado, por Bruno Alves

Canção da Bahia, canção da liberdade – Os atabaques ressoam como clarins de guerra

A voz da liberdade chama Pedro Bala: companheiro! Por todos os pobres, por todo sofrimento enfrentado nas histórias que se passaram, a revolução chama Pedro Bala.

João Grande embarcou como marinheiro num navio cargueiro. No mesmo dia Pedro Bala era aceito na organização grevista, como chefe da brigada de choque formada pelos Capitães da Areia, que recebia visitas frequentes do estudante Alberto, com orientações para atuar em comícios, greves e outras lutas dos trabalhadores.

Surgiram ordens para que Pedro Bala fosse a Aracaju organizar os Índios Maloqueiros como mais uma brigada de choque, e que depois seguisse por outros estados fazendo o mesmo trabalho. A chefia dos Capitães da Areia foi repassada para Barandão, que agora completava quinze anos, sob orientações do estudante Alberto.

Na emocionante despedida todas as crianças do trapiche gritavam o nome de Pedro Bala, e ele parece sentir Volta Seca, Sem-Pernas, Gato, Professor, Pirulito, Boa-Vida, João Grande e Dora por perto. Agora o destino de todos estava mudado, era tempo de lutar. Naquela noite, nas macumbas, os atabaques ressoavam como clarins de guerra.

Anterior Índice Próximo
error: Compre nossos ebook, a partir de R$ 5,90, para ter acesso aos textos com a opção copiar/colar habilitada ;)