Memórias Póstumas de Brás Cubas: Resumo Por Capítulo

Paráfrase da obra de Machado de Assis, por Bruno Alves


Baixar ebook

Prólogo – Ao leitor
Capítulo 1 – Óbito do autor
Capítulo 2 – O emplasto
Capítulo 3 – Genealogia
Capítulo 4 – A ideia fixa
Capítulo 5 – Em que aparece a orelha de uma senhora
Capítulo 6 – Chimène, qui l’eût dit? Rodrigue, qui l’eût cru?
Capítulo 7 – O delírio
Capítulo 8 – Razão contra Sandice
Capítulo 9 – Transição
Capítulo 10 – Naquele dia
Capítulo 11 – O menino é pai do homem
Capítulo 12 – Um episódio de 1814
Capítulo 13 – Um salto
Capítulo 14 – O primeiro beijo
Capítulo 15 – Marcela
Capítulo 16 – Uma reflexão imoral
Capítulo 17 – Do trapézio e outras coisas
Capítulo 18 – Visão do corredor
Capítulo 19 – A bordo
Capítulo 20 – Bacharelo-me
Capítulo 21 – O almocreve
Capítulo 22 – Volta ao Rio
Capítulo 23 – Triste, mas curto
Capítulo 24 – Curto, mas alegre
Capítulo 25 – Na Tijuca
Capítulo 26 – O autor hesita
Capítulo 27 – Virgília?
Capítulo 28 – Contanto que…
Capítulo 29 – A visita
Capítulo 30 – A flor da moita
Capítulo 31 – A borboleta preta
Capítulo 32 – Coxa de nascença
Capítulo 33 – Bem-aventurados os que não descem
Capítulo 34 – A uma alma sensível
Capítulo 35 – O caminho de Damasco
Capítulo 36 – A propósito de botas
Capítulo 37 – Enfim!
Capítulo 38 – A quarta edição
Capítulo 39 – O vizinho
Capítulo 40 – Na sege
Capítulo 41 – A alucinação
Capítulo 42 – Que escapou a Aristóteles
Capítulo 43 – Marquesa, porque eu serei marquês
Capítulo 44 – Um Cubas
Capítulo 45 – Notas
Capítulo 46 – A herança
Capítulo 47 – O recluso
Capítulo 48 – Um primo de Vigília
Capítulo 49 – A ponta do nariz
Capítulo 50 – Virgília casada
Capítulo 51 – É minha!
Capítulo 52 – O embrulho misterioso
Capítulo 53 – . . . . . . .
Capítulo 54 – A pêndula
Capítulo 55 – O velho diálogo de Adão e Eva
Capítulo 56 – O momento oportuno
Capítulo 57 – Destino
Capítulo 58 – Confidência
Capítulo 59 – Um encontro
Capítulo 60 – O abraço
Capítulo 61 – Um projeto
Capítulo 62 – O travesseiro
Capítulo 63 – Fujamos!
Capítulo 64 – A transação
Capítulo 65 – Olheiros e escutas
Capítulo 66 – As pernas
Capítulo 67 – A casinha
Capítulo 68 – O vergalho
Capítulo 69 – Um grão de sandice
Capítulo 70 – Dona Plácida
Capítulo 71 – O senão do livro
Capítulo 72 – O bibliômano
Capítulo 73 – O luncheon
Capítulo 74 – História de Dona Plácida
Capítulo 75 – Comigo
Capítulo 76 – O estrume
Capítulo 77 – Entrevista
Capítulo 78 – A presidência
Capítulo 79 – Compromisso
Capítulo 80 – De secretário
Capítulo 81 – A reconciliação
Capítulo 82 – Questão de botânica
Capítulo 83 – 13
Capítulo 84 – O conflito
Capítulo 85 – O cimo da montanha
Capítulo 86 – O mistério
Capítulo 87 – Geologia
Capítulo 88 – O enfermo
Capítulo 89 – In extremis
Capítulo 90 – O velho colóquio de Adão e Caim
Capítulo 91 – Uma carta extraordinária
Capítulo 92 – Um homem extraordinário
Capítulo 93 – O jantar
Capítulo 94 – A causa secreta
Capítulo 95 – Flores de antanho
Capítulo 96 – A carta anônima
Capítulo 97 – Entre a boca e a testa
Capítulo 98 – Suprimido
Capítulo 99 – Na plateia
Capítulo 100 – O caso provável
Capítulo 101 – A revolução dálmata
Capítulo 102 – De repouso
Capítulo 103 – Distração
Capítulo 104 – Era ele!
Capítulo 105 – Equivalência das janelas
Capítulo 106 – Jogo perigoso
Capítulo 107 – Bilhete
Capítulo 108 – Que se não entende
Capítulo 109 – O filósofo
Capítulo 110 – 31
Capítulo 111 – O muro
Capítulo 112 – A opinião
Capítulo 113 – A solda
Capítulo 114 – Fim de um diálogo
Capítulo 115 – O almoço
Capítulo 116 – Filosofia das folhas velhas
Capítulo 117 – O Humanitismo
Capítulo 118 – A terceira força
Capítulo 119 – Parêntesis
Capítulo 120 – Compelle intrare
Capítulo 121 – Morro abaixo
Capítulo 122 – Uma intenção mui fina
Capítulo 123 – O verdadeiro Cotrim
Capítulo 124 – Vá de intermédio
Capítulo 125 – Epitáfio
Capítulo 126 – Desconsolação
Capítulo 127 – Formalidade
Capítulo 128 – Na Câmara
Capítulo 129 – Sem remorsos
Capítulo 130 – Para intercalar no capítulo 129
Capítulo 131 – De uma calúnia
Capítulo 132 – Que não é sério
Capítulo 133 – O princípio de Helvetius
Capítulo 134 – Cinquenta anos
Capítulo 135 – Oblivion
Capítulo 136 – Inutilidade
Capítulo 137 – A barretina
Capítulo 138 – A um crítico
Capítulo 139 – De como não fui Ministro d’Estado
Capítulo 140 – Que explica o anterior
Capítulo 141 – Os cães
Capítulo 142 – O pedido secreto
Capítulo 143 – Não vou
Capítulo 144 – Utilidade relativa
Capítulo 145 – Simples repetição
Capítulo 146 – O programa
Capítulo 147 – O desatino
Capítulo 148 – O problema insolúvel
Capítulo 149 – Teoria do benefício
Capítulo 150 – Rotação e translação
Capítulo 151 – Filosofia dos epitáfios
Capítulo 152 – A moeda de Vespasiano
Capítulo 153 – O alienista
Capítulo 154 – Os navios do Pireu
Capítulo 155 – Reflexão cordial
Capítulo 156 – Orgulho da servilidade
Capítulo 157 – Fase brilhante
Capítulo 158 – Dois encontros
Capítulo 159 – A semidemência
Capítulo 160 – Das negativas

error: Compre nossos ebook, a partir de R$ 5,90, para ter acesso aos textos com a opção copiar/colar habilitada ;)